Site Autárquico Silves

Integrado na rúbrica Lado B » BILHETES PARA CONCERTO DE MAFALDA VEIGA COMEÇAM A SER VENDIDOS HOJE

Integrado na rúbrica Lado B » BILHETES PARA CONCERTO DE MAFALDA VEIGA COMEÇAM A SER VENDIDOS HOJE

Cultura

19 de dezembro de 2018

Os bilhetes para o concerto de Mafalda Veiga, que terá lugar no dia 25 de janeiro no teatro Mascarenhas Gregório (TMG) começam a ser vendidos hoje, dia 19 de dezembro, na BOL.

Quem estiver interessado em adquirir ingressos poderá aceder a https://cmsilves.bol.pt/Comprar/Bilhetes/70649-lado_b_mafalda_veiga-camara_municipal_de_silves/Sessoes ou deslocar-se aos outros locais habituais de venda (FNAC, Worten, CTT, EI Corte Inglês e Pousadas de Juventude).

Caso os bilhetes não esgotem online, no dia do espetáculo, a partir das 19h30, poderão ser adquiridos no TMG.

Mafalda Veiga virá a Silves no dia 25 de janeiro e atuará pelas 21h30.

+ info: Sector de Cultura da CMS | tel.: 282 440 800 | email: cultura@cm-silves.pt

» sobre Mafalda Veiga
É no aconchego da sua intimidade e no de uma guitarra que a Mafalda Veiga compõe as suas canções, as quais ganham outra vida quando trabalhadas com outros instrumentos, arranjos, produção. Aliás, a Mafalda tem várias canções que, ao longo dos seus trinta anos de carreira, se “vestiram” de arranjos muito diferentes, tornando-se quase novas canções.
Mas um reportório tão vasto basta-se a si próprio e o desafio deste espetáculo, no qual a Mafalda se apresenta em solo absoluto, é transpor essa intimidade tão dela e da guitarra e mostrá-la ao público – só a Mafalda e as suas canções, as suas guitarras (entre elas a nova guitarra azul) e muitas das ideias e instrumentos que usa e que a convocam para escrever e compor. Para tal, é recriado em palco o ambiente da sala/estúdio da Mafalda e vários momentos vão ser construídos mesmo ali, de frente para o público, sem rede.
Neste espetáculo estão contempladas algumas das canções incontornáveis da Mafalda Veiga, bem como do mais recente disco “Praia”, como por exemplo o tema “Olha como a vida boa”, que integra a banda sonora da telenovela da TVI “Jogo duplo”, bem como outras que têm deixado saudade e que voltam agora a ganhar voz, tais como “Gente perdida”, “Fragilidade”, “Una Casa”, entre outras.
A Mafalda convidou também o Rui Reininho a adaptar para português algumas das suas canções preferidas, o que ele fez com a classe e o humor subtil que tanto o caracterizam, sendo um dos momentos surpreendentes deste “Crónicas da intimidade de uma guitarra azul”.
A Mafalda Veiga, na sua forma mais simples e direta ao coração; como só ela sabe.
Mafalda Veiga, sobre “Crónicas da intimidade de uma guitarra azul” Trouxe-a para casa um dia em que não consegui resistir-lhe mais. Há dias assim.
Acorda-se com a cabeça no caminho e o desejo a fazer de combustível cósmico: nada nos segura.
Eu queria que fosse azul, mas não qualquer azul e não uma qualquer.
A pessoa vai aprimorando o objet(iv)o à medida que o sonha, vai-se tornando mais autor do que ator no processo da sua própria obsessão.
Mas, por sorte ou por outro fenómeno afim, houve um dia em que ela apareceu no catálogo de azuis sonoros da minha seleção privada e não tive qualquer dúvida: é ela e é hoje.
Foi assim que uma guitarra azul entrou na minha intimidade e que eu me aventurei na intimidade dela, com amor de focagem manual, todos os dias à procura da resposta para uma pergunta simples: se eu fosse a banda sonora dos dias que vou vivendo e com ela construísse a casa onde moro, o que é que nós seriamos capazes de fazer juntas?