Site Autárquico Silves

IGREJA MATRIZ DO ALGOZ RECEBE CONCERTO “AO SOM DE VIOLINOS” DA ORQUESTRA CLÁSSICA DO SUL

IGREJA MATRIZ DO ALGOZ RECEBE CONCERTO “AO SOM DE VIOLINOS” DA ORQUESTRA CLÁSSICA DO SUL

Cultura

30 de setembro 2022

Numa iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Silves, em parceria com a Orquestra Clássica do Sul (OCS), a Igreja Matriz do Algoz recebe no próximo dia 16 de outubro, pelas 17h00, o concerto “AO SOM DE VIOLINOS”.

De timbre brilhante e cristalino, o som do violino é inconfundível. Neste concerto serão apresentadas as obras de Telemann, Lachner, Dancla e Bacewicz, especialmente escritas para quatro violinos.

Compostas em épocas diferentes, entre os séculos XVIII e XX, estas composições exploram profundamente as capacidades artísticas, expressivas e virtuosas dos seus intérpretes, revelando de forma inequívoca o esplendor deste magnífico instrumento.

O telefone 282 440 800 e o endereço de correio eletrónico cultura@cm-silves.pt são os contactos disponíveis para o fornecimento de informações adicionais sobre o evento.

 

Entrada gratuita.

Classificação etária: M/6

Duração: 50 minutos

 

PROGRAMA


Obras de Works by G. TELEMANN, I. LACHNER, C. DANCLA, G. BACEWICZ

G. TELEMANN (1681 – 1767)

Quarteto em Sol maior, TWV 40:201

Quartet in G major, TWV 40:201

I. Largo e staccato

II. Allegro

III. Adagio

IV. Vivace

 

F. LACHNER (1807 – 1895)

Quarteto de Violinos, Op. 107

Violin quartet, Op. 107

I. Allegro moderato

II. Andante

III. Allegro giocoso

IV. Finale. Allegro vivo, ma non troppo

 

C. DANCLA (1817 – 1907)

Variações brilhantes sobre “O Carnaval de Veneza”. Op. 120

Brilliant variations about “The Carnival of Venice”. Op. 120

 

G. BACEWICZ (1909 – 1969)

Quarteto para 4 violinos

Quartet for 4 violins

I. Allegretto – Allegro giocoso

II. Andante tranquillo

III. Molto allegro

 

Agrupamento de Música de Câmara 

Zachary Spontak, violino violin

Jan Pipal, violino violin

Bojana Pantovic, violino violin

Sara Cymbron, violino violin

 

NOTAS AO PROGRAMA


 

Georg Philipp Telemann um dos compositores mais importantes e populares da Europa setecentista, terá composto quatro Concertos para Quatro Violinos durante a sua estada em Eisenach ou em Frankfurt, na opinião de alguns investigadores, num período de intensa atividade artística, não só como violinista extraordinário, mas também como compositor de um elevado número de peças para música de câmara.

A forma do concerto que aqui apresentamos é concisa e concentrada; dividida em quatro andamentos de carácter contrastante, os mais rápidos são vivos e animados, enquanto os mais lentos são expressivos e sentimentais, mas sempre em perfeito equilíbrio.

 

Lachner escreveu o seu Quarteto para Quatro Violinos, Op.107, aos 87 anos de idade, no ano anterior à sua morte. Depois de terminar a obra, num testemunho que sintetiza o seu legado, disse: "Desde sempre tenho sido fiel aos compositores clássicos de Viena que tanto admiro". Lachner confirmava continuamente que o seu objetivo era escrever com a clareza e a transparência características de Mozart e Haydn, combinadas com a beleza límpida de Schubert. Ao ouvir as suas obras, é evidente que foi bem-sucedido nesse propósito. O quarteto escolhido para este concerto alcançou uma popularidade considerável no seu tempo. Com melodias cativantes, harmonias simples mas eficazes e relativa facilidade de execução, perdurou no tempo e ainda hoje é tocado pelo mundo inteiro.

 

O “Carnaval de Veneza” baseia-se numa canção folclórica napolitana chamada “O Mamma, Mamma Cara” (Oh mãe, querida mãe), popularizada pelo violinista e compositor Niccolo Paganini, que escreveu vinte variações sobre a canção original, a que deu o nome de “Il Canevale di Venezia”, Op. 40. Depois de Paganini, muitas variações sobre o tema têm sido escritas, e em Portugal é bem conhecida por todas as crianças que a cantam com a letra “O meu chapéu tem três bicos”. Neste concerto escutaremos a variação para quatro violinos, arranjada por Charles Dancla.

 

Grazyna Bacewicz, violinista e compositora polaca de reconhecido mérito artístico internacional, é autora de um vasto e abrangente espolio musical, muito do qual para violino solo, mas também para música de câmara, orquestra, canto e piano, canto e orquestra, bailado e música incidental para cinema, teatro e emissões radiofónicas.

Na sua peça Quarteto para Quatro Violinos que escolhemos para este concerto, são bem evidentes a irreverência, sensibilidade e humor na mestria da sua criatividade musical.