Site Autárquico Silves

QUINTA DA MALACA E CORTICEIRA AMORIM RECEBEM PRÓXIMAS SESSÕES DO JAZZ NAS ADEGAS

QUINTA DA MALACA E CORTICEIRA AMORIM RECEBEM PRÓXIMAS SESSÕES DO JAZZ NAS ADEGAS

Últimas

28 de março 2019

As sessões de Jazz nas Adegas prosseguirão durante o mês de abril, desta feita na Quinta da Malaca (Pêra) e na Corticeira Amorim. Assim, nos dias 12 e 13 de abril, respetivamente pelas 21h00 e 17h00, o Mo Francesco Quintetto atuará na Quinta da Malaca. Marcando a evidente ligação entre o vinho e o património industrial do concelho, a última sessão deste mês não se realizará numa adega, mas numa unidade fabril: a Corticeira Amorim, que acolherá no dia 26 de abril, pelas 17h00, o concerto com os Rerum Ensemble. Os bilhetes já estão à venda.

Relembramos que o Jazz nas Adegas, organizado pela Câmara Municipal de Silves, integra, mais uma vez, a programação cultural 365 Algarve e conta com produção artística do Ginásio Clube de Faro. Trata-se de uma iniciativa que pretende dinamizar culturalmente os locais onde se produzem os Vinhos de Silves, numa simbiose entre o vinho, o seu produtor e a música, proporcionando uma experiência única ao público, em locais pouco usuais para a apresentação de um concerto de Jazz, conceito este alargado neste mês de abril à Corticeira Amorim, numa ligação a um dos elementos incontornáveis na produção nacional de vinho: a cortiça.

Os concertos são, como habitualmente, acompanhados de provas dos vinhos e contemplam ainda a degustação de tapas de produtos locais, num conceito de reconhecido sucesso que marca a oferta cultural de qualidade na época baixa de procura turística pelo Algarve. No caso da Corticeira Amorim a experiência inclui, ainda, uma visita guiada à referida unidade fabril.

Os ingressos têm um custo associado de 12 euros (inclui, para além do concerto, prova de vinhos do produtor, degustação de tapas de produtos locais, voucher de visita ao Castelo e Museu Municipal de Arqueologia e a oferta de uma garrafa de vinho), encontrando-se à venda na plataforma BOL em https://cmsilves.bol.pt/ ou num dos seguintes locais: FNAC, Worten, El Corte Inglés, CTT Correios, Pousadas da Juventude, Quiosques Serveasy. O evento destina-se a maiores de 18 anos.

As próximas sessões do Jazz nas Adegas terão lugar nos seguintes dias/locais e com os seguintes artistas:

17.mai. 21h00 | 18.mai. 17h00

Desidério Lázaro Trio            

Quinta do Barranco Longo, Algoz

Remexido, KO, Barranco Longo e QUÊ

  

25.mai. 17h00

Miss Manouche                                

Castelo de Silves

+ Info: Sector de Turismo da CMS | tel.: 282 440 800 | email: turismo@cm-silves.pt;

 

MO FRANCESCO QUINTETTO

O projeto nasceu em 2011, na Escola Superior de Música de Lisboa, no recital final da licenciatura em música Jazz de Francesco Valente. Este lançamento levou a formação a atuar em vários lugares vocacionados para o jazz nacional e internacional, inicialmente, mas também em festivais de jazz conceituados.

Miguel Moreira - Bateria

Diogo Vida - Piano

Francesco Valente - Contrabaixo

Johannes Krieger - Trompete

João Capinha Sax - Flauta

 

QUINTA DA MALACA

Os vinhos Malaca, produzidos numa herdade de nove hectares de solos de areia, localizada na freguesia de Pêra, próximo do mar, iniciou a sua produção em 2010. Luís Cabrita, seu proprietário, a via o pai produzir vinho pelo método tradicional de vinificação e para consumo próprio. Após o seu falecimento e em jeito de homenagem, iniciou este projeto.

Usando métodos e técnicas modernos, produz vinho tinto, branco e rosé, tendo escolhido o nome Malaca por ser o nome atribuído aos terrenos onde se encontram grande parte das vinhas.

Atualmente a propriedade conta com 18 hectares de vinha, havendo intenção de vir a aumentar a área de plantação, conforme a necessidade do mercado.

 

 

RERUM ENSEMBLE

Revisitando o repertório grandioso de Zeca Afonso, uma das figuras centrais do movimento de renovação da cultura musical e poética portuguesa, que se desenvolveu na década de 60, os Rerum Ensemble misturam as sonoridades populares com as sonoridades jazzísticas, conseguindo uma atmosfera musical fresca, inovadora e inesperada.

Davide Fournier - Guitarra e Arranjos

Filipe Valentim - Saxofone alto e flauta

Luís Miguel - Saxofone tenor

João Segurado - Contrabaixo

Filipe Sequeira - Bateria

 

CORTICEIRA AMORIM

Nesta sessão iremos marcar a evidente ligação entre o vinho e o património industrial do território. A presença no concelho de Silves de uma unidade fabril do grupo Corticeira Amorim S.A. facilita a ligação a um dos elementos incontornáveis na produção nacional de vinho, a cortiça. Sabemos que os melhores vinhos do mundo sempre usaram rolha de cortiça!

A dinâmica do ciclo Jazz nas Adegas manter-se-á, na sua essencial. Não se realizando numa adega a sessão abrirá as portas da fábrica que iniciou a sua atividade em 1963. Como introdução à sessão será desenvolvida uma visita à unidade fabril, e apresentado todo o processo de tratamento e transformação da cortiça, num circuito onde as informações que receber poderão ser muito surpreendentes.

Não será esquecida a ligação da sessão à história da indústria corticeira neste território, que conheceu um período pujante nos sécs. XIX e XX. Esse período estará presente na sessão. Será um momento certamente marcante e que perdurará na memória futura daqueles que marquem presença no evento.

 

+ sobre o GRUPO AMORIM

O Grupo Amorim é uma das maiores, mais empreendedoras e dinâmicas multinacionais de origem portuguesa. Teve origem no negócio da cortiça, em 1870, sendo hoje líder destacado no setor a nível mundial.

Sob o lema "nem um só mercado, nem um só cliente, nem uma só divisa, nem um só produto" o Grupo Amorim ultrapassou fronteiras geográficas e condicionalismos arriscados para a época, apresentou a cortiça ao mundo. Mantendo o seu cunho familiar, o Grupo Amorim detém hoje uma posição consolidada em dezenas de empresas nos cinco continentes e em diversas áreas económicas. Desde a cortiça, através da Corticeira Amorim, à vitivinicultura e ao enoturismo.

Sempre com a missão de respeitar os princípios de desenvolvimento económico, social e ambiental, o Grupo Amorim continua assente nas bases sobre as quais construiu o seu património - visão empresarial, responsabilidade, diligência, criatividade e inovação. E na missão de se demarcar pela excelência, quer ao nível da gestão, quer dos produtos e serviços. Uma vontade que contagia e alimenta o entusiasmo da mais nova geração envolvida nos negócios da família, a quarta.