Site Autárquico Silves

Armação de Pêra

Nascida da vizinha Pêra, Armação deriva o seu nome do aparelho de pesca que os homens desta terra ali montavam e do qual viviam. Para proteger esta riqueza piscícola, mas também agrícola, sempre cobiçada, são testemunho as muralhas de Alcantarilha e a fortaleza de Sto António, como muitas outras vigílias (atalaias) por essa costa fora. Tempos de pirataria, roubo e rapto. Toques a rebate, ataques, mortes e desaparecidos no mar.

A Fortaleza, a sua pequena igreja do séc. XVII, e a praia onde varavam as embarcações e os apetrechos dos pescadores são os primitivos pólos a partir dos quais cresceu a vila. Hoje é uma cosmopolita área de turismo, a única estância balnear do concelho, com duas áreas bem distintas em termos urbanísticos: uma primeira, à beira da praia, mais antiga e pitoresca, mais popular, mas nem por isso mal servida de instalações comerciais, onde termina a falésia e se estendem os coloridos barcos dos pescadores que em Agosto participam na original procissão marítima de Nª Sª do Navegantes; a outra, a poente, mais moderna, onde hotéis, apartamentos ou serviços, encerrados parte do ano, disputam cada palmo de terra desafiando-se em altura.

De histórico interesse e importância para o crescimento e renome turístico da vila é o edifício do velho Casino, algumas moradias da burguesia industrial silvense, entre as quais o destacado Chalet das Palmeiras, ou mesmo a moderna mas revivalista igreja paroquial. Deste lado, a poente do excelente miradouro que é a fortaleza do séc. XVII, a costa rochosa, de mil tons ocres e rubros que o entardecer engrandece.

Passeio obrigatório é o que se pode fazer até à bela praia de Nª Sª da Rocha, já no concelho de Lagoa. Por terra, tome-se a estrada que se segue para Porches, virando pouco depois à esquerda. Antes de descer à praia visite-se o singelo mas outrora tão importante santuário de Nª Sª da Rocha, local de peregrinação muito antigo, pré-islâmico, como o atestam variados testemunhos arqueológicos ali encontrados.

A igrejinha, embora ateste na sua cúpula reconstrução do séc. XVI, ainda conserva nas colunas de entrada elementos mais antigos. Por mar, alugando um dos característicos barcos dos pescadores, não se perca um passeio pela recortada costa que a todo o momento nos surpreende pelas belíssimas grutas (Pontal, Mesquita...) ou praias, de outro modo inacessíveis.