Site Autárquico Silves

História da Laranja

A laranja é um fruto originário da Ásia, mais precisamente da região situada entre a Índia e o Sudeste asiático. O seu cultivo ter-se-á iniciado há cerca de 7000 anos, presumindo-se que os primeiros pomares de laranjeiras se desenvolveram no primeiro milénio, na China.

Os romanos foram, provavelmente, os primeiros europeus a contactar com este fruto, possivelmente durante o primeiro século, através das trocas comerciais efetuadas com mercadores persas e o reino Aksum (actual Etiópia). Considerada um produto de luxo, a laranja tornou-se popular entre a classe nobre e os militares, sendo as primeiras espécies amargas e cultivadas para serem utilizadas com fins medicinais.

Os primeiros pomares surgem no Ocidente, a partir do séc. I AD e localizam-se no Norte de África (desde a Líbia, até Marrocos) e eram, habitualmente, propriedade de cidadãos romanos.

Com a queda do Império Romano e o surgimento do Califado Islâmico, abandonam-se as rotas comerciais antes usadas. Numerosos pomares do Império, localizados no continente europeu, acabam por cair no abandono.

Os anos dourados do Califado Islâmico do Norte de África e Sul Peninsular, por volta do século XI, viram o regresso da laranja à Europa, já que sementes trazidas da Pérsia permitiram a formação de pomares na Península Ibérica. A laranja denominada Sevilha foi uma nova variedade introduzida na região. Continha mais pectina e apresentava uma casca mais espessa, muito utilizada na produção de licores, compotas e perfumes.

A laranja doce, ao contrário da amarga, só é introduzida na Europa no século XVI, por mercadores portugueses, que a trazem da Índia. A sua cultura espalha-se rapidamente, introduzindo-se em pomares por toda a Europa do Sul, desde Portugal até à Geórgia, acabando por serem denominadas “Portuguesas” em vários países, especialmente nos Balcãs.
» Em Grego – Portokali
» Em Turco – Portakal
» Em Romeno – Portocala
» Em Italiano – Portogallo

Na Ásia e Médio Oriente, a laranjeira assumiu o papel de árvore ornamental. Era igualmente uma planta comum nos pátios das casas árabes abastadas, geralmente associada a uma fonte ou a um lago.

Atualmente, a laranja é o segundo fruto mais consumido no mundo, a seguir à maçã.